quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Que o acaso é amigo do meu coração II



E antes os telefonemas eram bem mais diários. Os encontros eram marcados e presenças eram firmadas. Mas não é por que há empecilho de falta de tempo ou lonjura, que fará essa nossa amizade esfriar.
Lembrei daquele dia que você ligou e disse pra gente ir se encontrar no shopping, (que estou sem minha agenda 2010 aqui pra ver a data certa) disse que tinha uma ótima noticia pra me dá.
Chegando lá, te procuro e vejo sentadinho, mas tinha algo diferente em você, ferida, arranhões, levantou mancando e veio de encontro a mim. Um cavalheiro diferente dos padrões, mas que sabe encantar qualquer mulher quando fala, e age gentilmente pra deixá-la passar-As damas primeiro!

E qual era mesmo a grande noticia? – Ah, ele tinha passado no vestibular. E como conseguiu tantas escoriações da noite pro dia? -Ah, eu cai de moto, disse ele. Como nada tivesse acontecido, acho que a felicidade era tão grande que nem tava doendo.
E por que veio assim?  Eu perguntei logo preocupada ao perceber que nem sua mão esquerda ou seria direita? (risos). Notei que não estava abrindo toda, fiquei assustada em ti ver cheio de marcas, mas mesmo assim ele foi lá só pra comprar um livro (risos), pensou que iria dizer que ele foi só pra me ver? Está enganado, ele queria só uma ajuda pra comprar um livro do seriado Dexter, que por sinal não levou. E eu abria e fechava as portas das livrarias, dizendo: -“Damos” primeiros (risos).
Ah, J.A o que posso fazer se nós estamos interligados a essa vida, se cada dia te tornas essencial pro meu viver, és a pessoa que conforta e me caricia mesmo distante. – Se preocupada comigo, ouvi minhas múrmuras, às vezes faz minha cabeça em confusões, inventa coisas, causos e eu ainda acredito.

Desde quando entrou, você está em todos os momentos que eu vivo e que eu desejo.
Agradeço pelo apreso, pelo carinho, respeito e paciência que tens comigo.
E não me venham dizer que é clichê, pois amigos também dizem: - Eu te amo, Mané!

Feliz 2 anos, my boy


2 comentários:

Jerlley disse...

Sabe, parece que nem são 2 anos. Parece ser mais, parece que somos amigos de infância, que brincávamos no meio da rua juntos quando pequenos. Que se alguém perguntar há quanto tempo nos conhecemos, poderíamos dizer que desde sempre. Uma coisa tão inusitada que tinha tudo pra dar errado, de ficar por ficar, mas não.
Eu ganhei uma companheira, uma confidente, uma conselheira. Uma melhor amiga. Eu ganho o mundo quando te vejo sorrir, e esqueço dele quando te abraço. Gostaria que momentos como esses acontecessem mais vezes, teríamos muitas e muitas estorias. O melhor de nos é que não precisamos estarmos perto a todo instante pra compartilharmos momentos bons juntos.

Te amo baixinha.

Nádia D. disse...

*--*
aah, jerlim, tudo que vc disse é verdade,
não precisamos está colados todo tempo, só em saber que confia em mim, coomppleta meu dia, ja é bastante.
parecemos amigos desde de crianças, acho que Deus soube me dá uma dor,para que alguem especial conseguisse tira-la de mim.
obrigada por tudo