sábado, 16 de janeiro de 2016

- Passagem



                                      " ...Dá de lá bandeira qualquer, aponta pra fé e rema"




É Madrugada, o frio no pé descoberto desperta-às 1:46.  A lembrança de rumos partidos. Um adeus ou até breve.
Sereno começa, e lá de cima ele está mais perto das nuvens. Mas perto de Deus. E aqui embaixo, fica a saudade de dias não aproveitados. Dias não seus.
É amargo. E te sobra nós na garganta que água nenhuma faz descer. Sem despedidas, sem abraços, sem encontros, sem palavras...


O cheiro ainda está nos lençóis, na pele. - Indo Embora deixo-te um adeus.




quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Bela, A Fera!




Não tenhamos medo de nossos rostos!
Seja ele limpo, com espinhas, com manchas, com pelos, com sardas! Não tenhamos medo de ser mulheres.
Um rosto não pode ser rotulado. O belo as vezes nos remete a futilidade, que não somos capazes de elaborar ideias, conhecimentos e planos. "Quem o feio ama bonito lhe parece" já dizia o ditado.

Não somos só um rosto bonito. Sejamos mulheres que não dependam de machos para ir ao cinema, para pagar uma conta, comprar um preservativo, uma bebida alcoólica,   não mendigarmos presentes em troca de companhia. Pois no fim de tudo é isso que eles vão falar "Fiz isso, comprei aquilo ".

Sejamos Mulheres com rostos bonitos e com mente sabia para não se submeter  a esse tipinho de "homem". Tenhamos muque para sermos livres e escolhermos o cara ideal e que realmente queira conhecer o seu interior, e não só viva de capa e troféu para exibição.


As vantagens de ser invisível

Não é amor. Isso é auto-piedade. Zona de conforto. Defesa.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

- Bandido Amor


" Porque é tão errado e tão certo pelo que sentimos. "


Incrível como o errado nos parece certo.
O "amor" Bandido como conhecido, é um conto (nada de fadas) que poucos tem,
O Errado que nos faz mergulhar num oceano de luxuria, de sete pecados ficarem ingênuos entre os julgados.

O Errado deixa-nos de cabelos em pé! Arrepios são falas indiretas. O gosto acido e quente desce rasgando a garganta, cai como gelo na espinha. Treme a boca, treme as mãos. Câimbra percorrem as pernas. É uma "tortura" insana a espera da próxima vez.

Clama fervura no toque de pele, clama insanidade marota. Sarcasmo entre sorrisos de canto de boca. Da boca que geme, clama pela vitoria de suspiros profundos.
Bandido Amor, que ciúmes não podem ser expressos. Aceitação de ser "segunda" opção semanais, mas na primeira fila (do errado)de sempre. Sem argumentos, sem passos vigiados.
O Certo nos prende a monotonia do enlace calmo.Justo. Companheiro. Claro que isso é correto, mas é nesse conforto que nos desconfortamos com a mesmice do Amor singelo.Arrisque-sem.E Viva a Bandidagem .