domingo, 15 de maio de 2011

- É a vez!



- A ciência confirma os fatos – Ele disse; com um sorriso maroto.
                                                   [...]

Tarde de domingo, mais ou menos 15:10 hr [ tirando um cochilo]
Depois de uma manhã exausta de aula extra.Chego em casa cansada, hora do banho,  depois almoço e enfim soneca pra relaxar os miolos.

 Ando impressionada com aquela novela das seis da tarde, da TV globo.Onde relata amor de uma princesa e um filho de cangaceiro.Pois bem. Acabei que sonhando com isso, só que meio que ao contrario e envolvendo-me.
O príncipe, chegava à capital Teresina (risos e mais risos). A procura de uma garota que o fizesse ser uma pessoa diferente precisava de um encanto que se fixasse firme, um pilar forte ao seu lado. Seguindo, houve uma grande festa, com todas as moças solteiras e mais formosas da cidade. (risos)
Mas havia uma moça que talvez não presenciaria esse tão sonhado acontecimento.Pois, era uma garota simples, com uma família grande, com proibições, que esperava um dia ver a sorte cair do céu.

Mas, isso mudou, pois mesmo assim a mocinha simples foi escondida pro baile, de calça jeans, blusa e uma sapatilha vermelha simples. Ao chegar, toda atenção foi voltada pra ela, logo que, os seus trajes eram inadequados, todas as moças bem aliadas, mas ela não. Ainda bem que o baile era de mascaras, assim ela diminuiria a vergonha (risos)
O príncipe botou os olhos nela, e foi ao seu encontro. Ela só queria dançar, se divertir, comer de graça, e se mandar. Mas ela teve algo a mais.

O príncipe a tirou para uma dança, um forró universitário. (risos) Ela, não recusou, dançou e depois agradeceu pelo convite e saiu. O príncipe a pegou pela mão esquerda e disse que algo havia mexido com seus sentimentos.
Ela não entendia nada, mas deixou bem claro que não podia ter nenhum envolvimento, porque ela sonhava com a chagada de uma pessoa especial, que ela já havia sonhado varias vezes com o mesmo.
Ele tirou a mascara desolado, mostrando sua face triste. E disse:

- A ciência confirma os fatos, o que o coração falou. - com um sorriso maroto, ele a abraçou.Dizendo que a queria ao seu lado.
 Ela assustou-se ao o vê-lo. Era ele, o tão sonhado garoto.
– Rapaz, eu sou plebéia, não tenho nada, nem sou universitaria, e vc é advogado. – disse ela. (risos)
- Não importa, eu preciso é de você.-disse ele.
[...]

Enfim...foi isso que aconteceu...
Acordei.(risos)
Eu e meus sonhos, quer saber quem é o bofe? kkkkk deixa ficar subentendido
=*

4 comentários:

Priscila Daiana disse...

Adoreiiii *-*

Jerlley disse...

Nádia esses teus sonhos.
o principe era universitário, estava em Teresina daçando sertanejo numa festa cheia de mulher solteira isso em outra semantica poderia significar orgia, mais deixa pra lá. KKKKk

O sonho acabou igual filme do Tarantino, deixando um monte de ganchos. HAHAH

Suadades de tu, baixinha.

Thyago David. disse...

bem interessante, conterânia.. ; )

=**

Esses fatos vís disse...

kkkkkkkkkkkkkk
Para de mangar de mim Jerlley,pow, tu sabe que eu tenho essas loucuras, e sonho cada coisa.
Nada completa com nada, mas fica tão fofinho *-*
kkkkkkk


Obrigada Priscila e meu Conterânio =*